fbpx

Londres: o que fazer, dicas para viajar por conta própria e economizar

Londres é uma das nossas cidades preferidas na Europa. É também a que visitamos mais vezes e onde mais tempo ficamos. Após várias viagens que somam mais de 70 dias na cidade, resolvemos escrever esse post com o que fazer em Londresdicas para viajar por conta própria e economizar.

Waterloo Pier em Londres
Vista do Waterloo Pier em Londres.

Modéstia à parte, podemos dizer que somos especialistas em viagens para Londres. Desde a primeira viagem sempre fomos por conta própria, organizando todo o roteiro, deslocamentos, hospedagem, passeios.

A nossa primeira vez em Londres foi em 2012 e desde então sempre que possível incluímos a cidade no roteiro das nossas Eurotrips. Estamos publicando uma série de posts sobre a cidade para tornar a capital do Reino Unido um dos principais destinos aqui do blog.

Trafalgar Square em Londres
Trafalgar Square.

Turismo em Londres

Londres está entre as cidades mais visitadas por turistas na Europa. Em 2016 recebeu pelo menos 19,5 milhões de turistas de fora do Reino Unido. É um número impressionante, principalmente se compararmos com a nossa realidade, já que todo o Brasil recebe cerca de 6,5 milhões de turistas estrangeiros por ano.

Todo mundo que sonha em ir para Europa tem na cabeça as imagens de Londres como os ônibus vermelhos de dois andares, as clássicas cabines de telefone público, os táxis pretos, o Big Ben, o London Eye e a troca de guarda real.

Museu Britânico em Londres
British Museum.

A gastronomia londrina é simbolizada pelo tradicional “fish and chips” (peixe com batatas fritas). Mas Londres é uma cidade onde é possível conhecer a culinária das mais diversas partes do mundo. Há milhões de imigrantes na cidade e consequentemente muitos restaurantes chineses, japoneses, indianos, árabes, etc.

Mesmo com o real tão desvalorizado frente a Libra, ainda assim vale a pena fazer compras nas lojas de departamento da Regent e Oxford Street, onde é possível encontrar roupas e perfumes por menos da metade do preço no Brasil.

London Eye ao anoitecer
London Eye ao anoitecer.

Os símbolos Londrinos estão por toda parte. Encontrá-los vai te fazer lembrar que você está em Londres. Cabines telefônicas vermelhas, ônibus de dois andares, guardas reais uniformizados, os táxis pretos e a famosa mensagem do metrô “Mind the Gap” são os maiores destaques.

Informações Práticas

Onde fica Londres

Londres fica na Inglaterra e é a capital desse país e também do Reino Unido.

A Inglaterra por sua vez fica na Grã-Bretanha, a maior ilha do arquipélago britânico onde também estão a Escócia e o País de Gales. Já o Reino Unido é o reino que une politicamente quatro países: Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte.

Ou seja, Londres fica na Inglaterra que é um país localizado na Grã-Bretanha e que faz parte do Reino Unido. Ah, isso tudo na Europa.

População de Londres 

Londres tem uma população de cerca de 7.825.200 habitantes.

Fuso horário

O fuso horário de Londres e em toda Inglaterra é de +3 horas em relação ao horário de Brasília.

Em Londres, no distrito de Greenwich, fica a linha imaginária conhecida como Meridiano de Greenwich, que é usada como referência para dividir a terra entre os hemisférios ocidental e oriental, além de marcar a hora zero mundial.

Horário de verão da Inglaterra

Durante o horário de verão da Inglaterra, o British Summer Time, que geralmente começa no último domingo de março e termina no último domingo de outubro, é adicionada uma hora ao horário local, fazendo com que a diferença em relação ao horário de Brasília passe a ser de +4 horas.

Quando tínhamos horário de verão no Brasil essa conta era ajustada quando ele entrava em vigor, mais ou menos na metade de outubro, quando a diferença voltava a ser de +3 horas e quando acabava o horário de verão na Inglaterra, passava a ser de +2 horas até o fim do horário de verão brasileiro, lá pela metade de fevereiro (se voltarmos a ter horário de verão no Brasil, voltam a valer essas informações).

Moeda

O Reino Unido não faz parte da Zona do Euro. Ou seja, a moeda da Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte é uma moeda própria chamada libra, que é mais forte que o euro.

É recomendável que o viajante troque reais por libras ainda no Brasil, já que o real não tem boa valorização por lá.

Se você vai visitar outros países da Europa que adotam o Euro, mesmo assim tente levar livras suficientes para sua estádia no Reino Unido, já que trocar reais por euros aqui no Brasil e euros por libras no Reino Unido, vai te fazer perder dinheiro por causa da dupla conversão.

Saiba mais em Qual moeda levar para Europa.

Tomadas 

As tomadas no Reino Unido são distintas de qualquer outra parte do mundo. É necessário ter um adaptador para conectar seus equipamentos. Para evitar contratempos, compre ainda no Brasil um adaptador universal.

Visto para o Reino Unido

Brasileiro não precisam de visto para viajar como turista para o Reino Unido. O prazo de permanência concedido pela imigração é de 6 meses.

Para viagens de estudo, trabalho ou que o prazo exceda os 6 meses, é necessário solicitar um visto ainda aqui no Brasil.

Entrevista na imigração

Para visitar o Londres ou qualquer outra cidade do Reino Unido como turista não é necessário solicitar um visto antecipadamente, porém é preciso passar pela entrevista na imigração do aeroporto, estação de trem ou fronteira de chegada ao reino.

O agente da imigração faz algumas perguntas e geralmente solicita a apresentação de alguns documentos que comprovem o seu intuito de fazer turismo por lá, de retornar ao Brasil ou país de residência ao fim da viagem ou ainda de seguir viagem para outro país fora do Reino Unido.

Saiba mais em Como funciona a imigração na Europa.

É preciso levar alguns documentos que comprovem seu status de turista como passagens de volta para o Brasil ou para algum país fora do Reino Unido, comprovantes de reserva de hospedagem, libras em espécie ou comprovante de cartão pré-pago ou cartões de crédito com limite suficiente para os gastos da viagem, qualquer documento que prove vínculo com o Brasil como uma contracheque, comprovante de que tem empresa, matrícula em universidade, etc.

Não é obrigatório tomar nenhuma vacina ou portar Carteira de Vacinação Internacional para entrar no Reino Unido.

É necessário viajar com passaporte válido durante toda a estadia no Reino Unido. Para visitar os países do Espaço Schengen o passaporte deve ter validade mínima de 3 meses após a data prevista para o fim da viagem.

Saiba mais em documentos necessários para viajar para Europa.

Torre de Londres
Torre de Londres.

Melhor época para visitar 

Londres é uma cidade de estações bem definidas. A temperatura em Londres é bem definida para cada estação do ano. Isso significa que no verão faz calor e no inverno muito frio. Outono e primavera são estações com temperaturas intermediárias, que se aproximam com as do verão e do inverno de acordo com a proximidade dessas estações.

A melhor época para visitar Londres vai depender do seu gostos pessoais e estilo de viagem.

Se você gosta de calor, obviamente deve ir no verão (21 junho até 20 setembro). É a época que a cidade recebe mais festivais e turistas. Os dias são mais longos, amanhecendo por volta das 5h e anoitecendo por volta das 21h. Por consequência é preciso saber que as filas são maiores, as atrações estarão sempre lotadas e que os preços de hospedagem sobem bastante nesse período.

Se adora o frio, vá no inverno (21 dezembro até 20 março). Mas vá sabendo que faz muito frio, podendo até mesmo nevar. Os dias são bem curtos, com nascer do sol próximo das 7h45 e pôr do sol por volta das 15h45. As vantagens são que praticamente inexiste filas nas atrações e os preços de hospedagem são mais baratos, devido a baixa procura.

Saiba mais no post Mochilando no Inverno Europeu.

Agora se prefere o meio termo, na primavera, entre 21 Março e 20 Junho, é um bom período para viajar com clima amemo e agradável. O frio intenso do inverno já foi embora e ainda não faz tanto calor como no verão.

Já no outono, entre 21 de setembro e 20 de dezembro, a cidade não está mais lotada de turista como no verão e as cores da estação encantam qualquer visitante. No início da estação ainda faz um pouco de calor, mas a medida que o inverno vai se aproximando o frio começa a incomodar.

Marble Arch em Londres.
Marble Arch.

Como chegar

Londres é a porta de entrada para muitos brasileiros que viajam para Europa. Há voos direto do Brasil para Londres, o que diminui o tempo de viagem e também os preços das passagens, fatores importantes para quem está planejando uma eurotrip.

Mas você também pode preferir chegar pela Europa por outros países e em um certo momento da viagem ir a Londres. Se esse for o seu caso, é bem provável que chegará a Londres de trem vindo de Paris, Bruxelas ou Amsterdam.

Outra opção é voar de qualquer lugar da Europa para Londres com as companhias aéreas de baixo custo.

Por fim, é possível ir de ônibus de alguns países próximos, sempre com parte da viagem sendo feita em uma travessia do oceano de balsa, afinal o Reino Unido é uma ilha cercada pelo mar de todos os lados.

Avião

Voos diretos

Há voos diretos do Brasil para Londres partindo de Guarulhos e do Rio de Janeiro.

As companhias aéreas LATAM e a British Airways operam os voos diretos diariamente para Londres de Guarulhos e do Rio de Janeiro.

A low-cost Norwegian Air tem voos diretos para Londres do Rio de Janeiro quatro vezes por semana pousando no aeroporto de Gatwick (LGW).

Voos com conexão

Várias outras companhias aéreas operam voos do Brasil para Londres. Nesses casos sempre há ao menos uma conexão na Europa ou em outros continentes antes de chegar no destino final, geralmente na cidade base da cia aérea.

Com a TAP é preciso fazer uma conexão em Lisboa ou Porto antes de seguir para Londres. Já com a Air France antes de ir para Londres há uma conexão em Paris, com a KLM em Amsterdam e com a Iberia em Madri.

Abaixo as companhias aéreas europeias que voam do Brasil para Londres com conexão são TAP, Iberia, Air Europa, Air France, KLM, Lufthansa e Swiss.

Como ir do aeroporto de Heathrow ao centro de Londres

Os voos internacionais de fora da Europa sempre chegam no aeroporto de Heathrow, a cerca de 24 quilômetros do Centro de Londres.

A forma mais rápida de ir de Heathrow ao centro é através do trem Heathrow Express, que faz o percurso em apenas 15 minutos até a estação Paddington. Entretanto é um meio de transporte caro, custando £32 por pessoa. Os trens partem a cada 15 minutos entre 05h07 e 23h42.

Um táxi de Heatrow até o centro da cidade custa cerca de £70 e um Uber £45.

A forma mais barata é de metrô. Custa ₤6 para pagamento em dinheiro e entre ₤3,1 e ₤5.10 para pagamento com o Oyster, de acordo com o horário da viagem.

Saiba mais em como ir de metrô do aeroporto de Heathrow ao centro de Londres.

Outros aeroportos de Londres

Londres é atendida por outros 5 aeroportos: Gatwick, Stansted, Luton e City. Eles recebem voos vindos da Europa. Caso seu voo do Brasil para Londres tenha feito conexão em algum país europeu, pode ser que o voo desse país para Londres pouse em algum desses aeroportos.

Todos eles são bem conectados ao centro por transporte público, seja metrô, trem ou ônibus.

Como em todas as nossas viagens nós chegamos na cidade por Heathrow, não podemos dar muitas dicas de como ir desses aeroportos ao centro utilizando o transporte público.

Se você vai desembarcar em Londres por algum desses aeroportos, leia o post super completo do Viaje na Viagem.

Trem

Os trens da Eurostar ligam Londres a Paris (2h15 de viagem), Bruxelas (2h08 de viagem) e Amsterdam (3h55 de viagem). É uma ótima opção para quem vai visitar algumas dessas cidades antes da capital da Inglaterra.

Saiba mais em passagens baratas Eurostar de Londres a Paris.

Ônibus

Há linhas ligando Londres e diversas outras cidades em países próximos, dentro do Reino Unido e fora dele, como França, Bélgica, Países Baixos e Irlanda.

Como o Reino Unido é uma ilha, uma parte da viagem sempre é feita de balsa. Por isso essas viagens costumam demorar um pouco mais que o normal e se tornam cansativas por ser necessário desembarcar do ônibus, embarcar na balsa, desembarcar da balsa, embarcar no ônibus. A vantagem é que pode ser muito mais barato viajar de ônibus do que de trem de Londres para os países vizinhos ao Reino Unido.

As principais empresas de ônibus que operam no Reino Unido são:

  • Eurolines: com destinos por toda a Europa, além das passagens ponto a ponto vende passes interessantes;
  • National Express: principal empresa do Reino Unido;
  • MegaBus: talvez a mais econômica. Em todas as partidas ao menos uma poltrona sai por um preço simbólico.
Admiralty Arch em Londres
Admiralty Arch.

Como se locomover

Londres é uma daquelas cidades onde alugar um carro não é uma boa ideia. O trânsito é caótico nos horários de pico, na maioria dos locais não é possível estacionar nas ruas e os estacionamentos particulares são sempre muito caros.

Sem dúvidas, a melhor forma de se locomover em Londres é utilizando o transporte público (metrô ou ônibus).

Para os deslocamentos mais curtos o melhor mesmo é caminhar ou alugar uma bicicleta, pois além de economizar permite que o visitante tenha um contato maior com o dia-a-dia dos moradores locais.

Metrô de Londres

Com a construção iniciada em 1863, o metrô londrino foi o primeiro meio de transporte de passageiros sobre trilhos do mundo.

Metrô de Londres
Sinal indicativo de estação do metrô de Londres.

Atualmente são 11 linhas, 287 estações e extensão de mais de 408 quilômetros, atendendo quase todas as regiões de Londres. São cerca de 2,7 milhões de viagens por dia e de 1,4 bilhão de passageiros por ano.

A área em que o metrô de Londres operada é dividida em 9 zonas, denominadas zona 1 a zona 9. A maioria das atrações turísticas estão no centro de Londres, abrangido pelas zonas 1 e 2. Alguns poucos pontos turísticos estão entre as zonas 1 a 4.

Funciona de segunda a sexta-feira das 6h até às 24h. Em algumas linhas o primeiro trem parte às 5h, porém só alcança as zonas 1 e 2 por volta das 6h. O mesmo vale para o encerramento das operações, que de acordo com a estação pode acontecer antes ou depois da meia noite.

Nas sextas-feiras e sábados as linhas Victoria, Central, Jubilee, Northern e Piccadilly operam 24 horas. Aos sábados e domingos há uma pequena diminuição de trens rodando.

Metrô de Londres
Composição do metrô de Londres.

Para facilitar o uso do metrô de Londres, além de economizar muito, é necessário adquirir um cartão chamado Oyster Card. Ele custa ₤5 e pode ser comprado nas máquinas e guichês de qualquer estação.

Com o Oyster Card os bilhetes são muito mais baratos do que comprando bilhetes unitários de papel. O cartão também faz cálculos automáticos para encontrar a menor tarifa para sua viagem, o que acaba reduzindo os gastos.

O bilhete unitário custa ₤4,90 para zona 1 sem o Oyster e ₤2.40 com o Oyster. O passe diário ilimitado para as zonas 1 e 2 com o Oyster Card que inclui viagens de metrô e ônibus (Daily Anytime) custa ₤7 e o semanal ilimitado (7 day travelcard) ₤35,10.

Cartão metrô Londres
Validação do Oyster Card.

A partir de 6 dias em Londres já vale a pena comprar o passe semanal. Se você vai ficar menos tempo carregue seu Oyster Card com 10 libras para 1 dia, 20 para 2 dias, 25 para 3 dias, 30 para 4 dias e 35 para 5 dias.

No seu último dia em Londres você pode devolver o seu Oyster Card para receber o reembolso das ₤5 e até ₤10 do saldo. A devolução pode ser feita nas máquinas de qualquer estação do metrô.

Saiba mais em metrô de Londres: como funciona, dicas, Oyster Card.

Ônibus

Os famosos ônibus vermelhos de dois andares são um dos símbolos de Londres. Utilizar o ônibus por lá é por si só uma atração e permite conhecer um pouco mais da cidade pelas janelas, principalmente se você subir para o 2º andar e conseguir assento nas janelas dianteiras.

Use seu Oyster Card nos ônibus de Londres para pagar as passagens que custam ₤1,50 dentro da zona 1. Baldeações no período de 1 hora são gratuitas e o teto máximo de cobrança diário com o Oyster são ₤4,50 (zonas 1 e 2). Utilizando metrô e ônibus o teto diário é de ₤7.

O lado negativo é que o trânsito de Londres é caótico nos horários do rush e a viagem de ônibus acaba sendo mais demorada do que de metrô (porém mais confortável).

Não é possível comprar bilhetes com o motorista, então sempre tenha seu Oyster Card carregado antes de embarcar.

Táxi e veículos de aplicativo

Os táxis pretos londrinos também são um símbolo da cidade e estão por toda parte. Porém, pegar um táxi em Londres é muito caro, já que eles tem um dos custos mais altos do mundo. Uma viagem de 20 minutos não costuma custar menos que ₤15.

Os veículos de aplicativo operam normalmente em Londres e são uma boa opção para quem quer fugir dos transportes públicos e não quer pagar caro com táxi.

A Uber oferece as opções de Uber Pool (carro compartilhados com outros usuários) e UberX.

No Uber Pool até 2 pessoas viajam pela metade do preço do UberX, porém os pontos de embarque e desembarque nem sempre são exatamente os seus, sendo preciso caminhar um ou dois quarteirões. Além disso, no meio do caminho pode ser que o motorista pegue outro passageiro que vai na mesma direção que a sua. Sabendo disso, essa é uma boa opção para retornar ao hotel após um dia cansativo e/ou com compras.

Bicicleta

Além de economizar, você vai se exercitar e se inserir no cotidiano de quem vive em Londres. Faça alguns dos seus deslocamentos pela cidade de bicicleta, algo muito comum em toda Europa.

Londres tem muitas ciclovias e mesmo nas ruas em que elas não existem, os ciclistas transitam entre carros e motos com segurança.

Alugar Bicicleta em Londres.
Bicicletas a 2 libras por dia.

É muito fácil e barato alugar uma bicicleta em Londres nas centenas de estações do Santander Cycles espalhadas por toda cidade. A taxa para utilização por 24 horas é de apenas ₤2.

A cada retirada você pode utilizar a bicicleta por até 30 minutos, devendo devolvê-la em qualquer estação antes de completar esse tempo. Após 15 minutos já pode retirar outra bicicleta na mesma ou em outra estação. Dessa forma você poderá rodar por toda a cidade indo de um ponto turístico ao outro e aproveitando o tempo de espera entre uma retirada e outra para conhecê-los.

Saiba mais no post como alugar uma bicicleta em Londres.

Caminhando

Passear a pé por Londres é uma ótima escolha. É a melhor forma de conhecer bem a cidade, não deixando passar nenhum cantinho, nenhuma atração e entendendo de verdade como a cidade funciona.

Londres é quase toda plana. Caminhar pela cidade te proporcionará boas experiências e descobertas, sempre com uma área verde para descansar.

Para distâncias pequenas, entre 1 ou 2 estações de metrô, caminhar será mais agradável do que encarar o metrô (claro que isso não é válido para o inverno).

Atenção: não se esqueça da mão inglesa e sempre que for atravessar uma rua preste bastante atenção. Geralmente nas faixas de pedestres há avisos look left (olhe para a esquerda) ou look right (olhe para a direita) para lembrar que os carros circulam no sentido oposto ao que a maioria dos visitantes está acostumada.

Ingressos antecipados

Quase sempre vale a pena comprar ingressos antecipados online para as atrações de Londres. Seja pela praticidade, para evitar as filas das bilheterias e também para economizar pois algumas atrações tem ingressos online com desconto.

Nós mesmo já deixamos de visitar algumas atrações em Londres e outras cidades da Europa por causa das filas enormes associadas ao frio do inverno ou calor do verão.

Por isso indicamos que você compre seus ingressos online, mesmo que no dia anterior ao da visita ao atrativo e dê preferência aos ingressos com horário marcado. Assim você evita a fila da bilheteria e pega apenas uma fila pequena com as pessoas que tem ingressos marcados para o mesmo horário que o seu.

Na GetYourGuide, site totalmente em português, você encontra ingressos pelo mesmo preço da bilheteria (a maior parte deles) ou com um pequeno acréscimo, além da opção de ingressos “fura fila” ou com horário marcado. Na maioria das atrações os ingressos podem ser apresentados na tela do seu Smartphone (confirme durante a compra).

Nós utilizamos a GetYourGuide em nossa última viagem para Londres em agosto de 2019 e não tivemos nenhum problema. Os pagamentos podem ser feitos através via PayPal ou com cartão de crédito. Os ingressos são enviados imediatamente para o seu e-mail.

O que fazer em Londres

Londres é uma das cidades europeias com mais coisas para se fazer quando se viaja a turismo. Há atrações e atividades para todos os gostos e bolsos. Dificilmente você não encontrará algo para fazer na cidade como turista.

É verdade que Londres é uma das cidades mais caras da Europa. Mas por outro lado, a caríssima Londres é também uma das cidades europeias com o maior número de atrações gratuitas.

É fácil montar um roteiro por Londres apenas com as atrações gratuitas da cidade. Dentre elas estão alguns dos melhores museus do mundo, lindos parques, feiras, mercados e bairros alternativos.

Quem se interessa por história e arquitetura encontra em Londres tantas possibilidades que é impossível conhecer todos os pontos de interesse em uma só viagem.

Abaixo estão as principais atrações de Londres ao nosso ver. Mas é claro que existem muitas outras atrações e coisas para fazer na capital da Inglaterra.

Palácio de Westminster

O Palácio de Westminster é onde funciona o Parlamento Britânico. Lá estão instaladas as Casas do Parlamento, com a Câmara dos Lordes e a Câmara dos Comuns.

Palácio de Westminster em Londres
Palácio de Westminster em agosto de 2019.

É um dos pontos mais fotografados de Londres, tanto pela arquitetura do palácio, quanto pelo Big Ben, o sino instalado em uma de suas torres em 1859 e que ainda hoje toca de hora em hora.

Atualmente (outubro de 2019) o a torre do Big Ben encontra-se em reforma, estando totalmente coberta por andaimes e tapumes.

É possível conhecer o interior do palácio aos sábados durante todo o ano e todos os dias durante as férias parlamentares de verão.

O acesso é pago e custa £19,50 na opção Audio tour e £26,50 no tour guiado. Compre antecipadamente diretamente no site do Parlamento Britânico.

Saiba mais no post Visita ao Parlamento Britânico do blog Londres para Principiantes.

London Eye

Do lado oposto ao Palácio de Westminster está a London Eye, a roda gigante mais famosa do mundo.

London Eye
Rio Tâmisa e a London Eye.

A London Eye foi inaugurada no réveillon de 1999 para 2000, sendo por isso também conhecida como Millennium Wheel, a Roda do Milênio. Com 135 metros de altura, é uma das rodas-gigantes mais altas do mundo.

Apesar do contraste com a arquitetura clássica da região, a moderna London Eye encanta os visitantes e a maior parte dos londrinos.

Vista da London Eye
Vista da London Eye.

A volta completa da roda-gigante dura 30 minutos. Compre seus ingressos com antecedência e com horário marcado para evitar as longas filas de espera.

O ingresso custa £30 acima de 16 anos, £25,20 entre 3 e 15 anos e gratuito até 3 anos.
Compre no site da GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Abadia de Westminster

É uma igreja do Colegiado de São Pedro construída no estilo gótico. É considerada a igreja mais importante de Londres e é famosa por ser o local de coroação dos monarcas do Reino Unido. 

Abadia de Westminster em Londres
Abadia de Westminster.

O acesso ao interior da Igreja é pago.
Custa €24,06 entre 17 e 59 anos, €20,62 para +60 anos e €10,31 para entre 6 e 16 anos.
Compre no site da GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Rio Tâmisa

River Thames ou rio Tâmisa em português, é o rio que corta Londres e que tem em sua volta alguns dos principais pontos turísticos da cidade.

Rio Tâmisa em Londres
Rio Tâmisa visto da London Eye.

O rio Tâmisa tem 346 quilômetros de extensão e é o maior rio inteiramente em solo inglês. Em Londres ele passa pelo centro e diversos outros bairros.

Era um rio biologicamente morto, mas após diversas ações, reviveu em menos de 50 anos. Hoje abriga mais de 121 espécies de peixes e diversos mamíferos aquáticos, como leões-marinhos.

Tower Bridge vista das margens do rio Tâmisa
Tower Bridge vista das margens do rio Tâmisa.

Caminhar pelas margens do rio Tâmisa é um ótimo passeio. Se você gosta de longas caminhadas, pode ir caminhando desde o Palácio de Westminster até a Tower Bridge (uns 5 quilômetros), passando por atrações como London Eye, National Theatre, Millennium Bridge e Tate Modern.

Tower Bridge

A Tower Bridge ou Ponte da Torre de Londres é uma ponte construída sobre o rio Tâmisa inaugurada em 1894. É sem dúvidas um dos pontos turísticos mais emblemáticos de Londres.

Tower Bridge em Londres
Tower Bridge.

Fica bem ao lado de outra atração da cidade, a Torre de Londres.

Ao longo das passarelas superiores da ponte é possível visitar uma exposição que mostra como funcionava o sistema de elevação da ponte através de uma máquina de vapor até 1976, quando aconteceu a substituição por um sistema elétrico.

O acesso ao interior da ponte é pago, mas para caminhar pela passagem de pedestres da ponte não se paga nada.

Custa: £9.80 acima de 16 anos, £4,20 entre 5 a 15 anos e £6,80 para estudantes e maiores de 60 anos.
Horário de funcionamento: de abril a setembro das 10h às 18h e
de outubro a março das 9h30 às 17h30.

Torre de Londres

Durante mais de 900 anos a Torre de Londres foi um local de terror, já que servia de prisão para todos que ofendiam o monarca. Muitos presos foram torturados e executados no local.

Torre de Londres
Torre de Londres.

Atualmente é aberta a visitação pública e é muito visitada por abrigar as joias da coroa.

Horário de funcionamento: de março a outubro de terça a sábado das 9h às 17h30 e aos domingos e segundas das 10h às 17h30; de novembro a fevereiro de terça a sábado das 9h às 16h30.
Ingressos: £24,70 para +16 anos, £10,75 para -16 anos, £19,30 para estudantes e +60 anos.
Compre na GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Palácio de Buckingham

O Palácio de Buckingham é a residência oficial da rainha Elizabeth II e residência oficial da Família Real Britânica em Londres desde 1837.

Palácio de Buckingham em Londres
Palácio de Buckingham.

A visitação do interior do palácio é permitida em algumas datas entre julho e outubro, mas é paga.

Outra atração do Palácio de Buckingham é a troca da guarda real, que acontece em frente do palácio.

Ingressos: £25 para +17 anos, £22,80 estudantes e +60 anos e £14 até 17 anos (Buckingham Palace e Salões do Estado) e £45 para +17 anos, £40 estudantes e +60 anos e £24,50 para -17 anos
(Buckingham Palace, Salões do Estado, Cocheiras Reais e Galeria da Rainha).
Aberto à visitação: de 21 de julho a 31 de agosto das 9h30 às 19h30 e de 1 de setembro a 30 de setembro das 9h15 às 18h30.

Troca da Guarda do Palácio de Buckingham

A troca da guarda real é uma das atrações turísticas mais procuras de Londres. É uma cerimônia militar que acontece em frente à entrada principal do Palácio de Buckingham, quando os guardas que estão deixando o turno passam o serviço para os que estão entrando no turno.

Troca de Guarda em Londres, Eurotrip
Troca de Guarda no Palácio de Buckingham em Londres.

Dura cerca de 45 minutos e não se paga nada para assistir. Entretanto, é preciso chegar cedo para conseguir um lugar próximo dos portões do palácio, que permita boa visão da cerimônia.

Acontece diariamente às 11h30 de maio a julho. No restante do ano acontece a cada dois dias, desde que as condições climáticas permitam.
Consulte o calendário oficial da cerimônia no site Changing the Guard.

Parques de Londres

Quem gosta de atividades ao ar livre se apaixona pelos parques de Londres. A cidade tem vários parques onde é possível praticar esportes, caminhar, correr ou simplesmente sentar e observar a movimentação.

Londres é uma cidade muito arborizada e seus parques são muito bem cuidados. Há também centenas de praças com muito verde e espaço para descanso.

Uma cena clássica de Londres é ver pessoas “esticando as canelas” ao sol em um banco das praças e parques da cidade.

Para nós brasileiros pode parecer algo estranho, mas para os londrinos ir a uma praça ou um parque para almoçar, lanchar, bater um papo ou apenas descansar é algo cotidiano, principalmente durante os meses mais quentes.

Definitivamente os parques de Londres não podem ficar de fora do seu roteiro pela cidade. Abaixo estão nossos parques preferidos por lá.

Hyde Park

É o maior parque de Londres e fica localizado no centro da cidade. Possui atrações interessantes como o Speakers’ Cornerum local onde qualquer um pode discursar e propagar suas ideias por onde passaram Karl Marx e Lenin. Religiosos, filósofos, políticos e, diríamos, loucos berram para chamar atenção de quem passa pelo local para suas oratórias.

Hyde Park em Londres
Hyde Park.

Nos meses mais quentes moradores e turistas aproveitam os dias ensolarados, ou apenas os fins de tarde, conversando, lendo, estudando e até mesmo trabalhando sentados nos gramados do Hyde Park.

O Hyde Park fica bem próximo da Oxford Street, uma das ruas principais de Londres, endereço certo de quem quer fazer compras. Nada melhor que descansar um pouco no parque após bater pernas nas diversas lojas de departamento da região.

Esse era o parque favorito da princesa Diana e no local há um Memorial em sua homenagem.

Regent’s Park

Outro parque da região central, é repleto de belas paisagens, lagos exuberantes, lindos jardins e abriga o zoológico de Londres.

Regent's Park no verão
Piscinas públicas do Regent’s Park no verão.

Possui uma boa infraestrutura contando com restaurantes, cafés, banheiros públicos, um centro de aprendizado sobre natureza e a vida selvagem, pedalinhos, aluguel de cadeiras e piscina pública (no verão).

Regent's Park em Londres
Regent’s Park.

No Regent’s Park há áreas para prática de diversos esportes, como rúgbi e futebol.

ST JAMES’S PARK e GREEN PARK

São os parques mais centrais de Londres. Ficam um ao lado do outro e o Palácio de Buckingham, moradia da rainha da Inglaterra e local onde acontece a tradicional troca de guarda, fica no entorno deles. Ambos são belíssimos, com muito verde e muitos animais.

ST JAMES’S PARK em Londres
St James’s Park.

Parque Greenwich

É um dos parques mais bonitos de Londres e oferece uma linda vista da cidade da parte moderna da cidade.

Greenwich Park em Londres
Greenwich Park.

Fica afastado do centro de Londres, porém com fácil acesso por transporte público.

As opções são o DLR (um tipo de trem), já que há estações de metrô nas proximidades ou ônibus. Para ir de DLR pegue o trem na estação Bank com destino a estação Cutty Sark. Há diversas linhas de ônibus que vão a Greenwich, dentre elas as 188 e 129.

Entretanto, a maneira mais charmosa de ir ao Parque Greenwich é em um passeio de barco pelo rio Tâmisa. Greenwich é a última parada dos barcos.

Abriga um observatório astronômico por onde passa o Meridiano de Greenwich, que por convenção divide o planeta em ocidente e oriente.

Cutty Sark em Londres
Cutty Sark.

Greenwich é um ótimo destino para um passeio de meio período, já que na região também há uma feira com Street food de diversos países e atrações como o impressionante veleiro Cutty Sark.

Saiba mais em Os melhores parques de Londres.

St Paul’s Cathedral

A Catedral de São Paulo em Londres tem 110 metros de altura e é a segunda maior catedral do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro em Roma.

Ponte do Milênio em Londres
Ponte do Milênio e Catedral de São Paulo aos fundos.

É uma catedral anglicana do século XVII e um dos locais mais visitados de Londres. Foi lá que em 1981 aconteceu o casamento do príncipe Charles com a princesa Diana (falecida em 1997).

O acesso a essa catedral é pago e dá direito a cúpula, de onde se tem uma visão ampla de Londres. Para isso, é necessário encarar no 528 degraus para subir e a mesma quantidade para descer. 

Nós ainda não nos animamos a fazer a visitação interna e muito a menos a encarar todos esses degraus, mas o blog Viajonários conta como é a experiência.

Horário de funcionamento: de segunda a sábado das 8h30 às 16h30.
Ingressos: £20 adultos, £17,50 estudantes e +60 anos e £8,50 entre 6 e 17 anos.
Compre no site da GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Piccadilly Circus

Piccadilly Circus é uma das praças mais procuradas pelos turistas em Londres e também ponto de encontro dos londrinos. Sua localização é privilegiada e em seu entorno há uma gama muito grande de coisas para fazer, opções de entretenimento, lojas, bares, restaurantes e vida noturna. 

Piccadilly Circus em Londres
Piccadilly Circus.

Seus painéis luminosos e a fonte de Eros fazem de Piccadilly Circus um ícone de Londres. Todas as noites ela fica lotada de turistas. A partir de lá é possível ir caminhando para outros pontos interessantes da noite londrina, como Soho e China Town.

Chinatown

Chinatown é o bairro chinês de Londres, situado no Soho, bem pertinho de Piccadilly Circus. Com arquitetura tradicional chinesa, na região encontram-se vários restaurantes de comida chinesa e de outras culinárias asiáticas.

China Town em Londres
China Town.

É um ótimo local para quem gosta de comida asiática e quer economizar. Por menos de £10 é possível comer um autêntico menu chinês ou comer à vontade nos restaurantes “all you can eat”.

E por falar em comer barato em Londres, o blog Viajei Bonito tem ótimas dicas de onde comer bem e barato em Londres.

Trafalgar Square

Trafalgar Square é outra praça importante e muito frequentada por turistas em Londres. Foi construída em 1830 para comemorar a vitória da armada britânica na Batalha de Trafalgar. 

Trafalgar Square em Londres
Trafalgar Square.

Sua coluna de quase 50 metros de altura, diversas estátuas e os 4 leões girantes construídos do bronze fundido dos canhões da frota francesa, chamam a atenção dos visitantes.

Artistas de rua de diversas partes do mundo se apresentam diariamente na Trafalgar Square. A National Gallery, um dos mais importantes museus da cidade fica nessa praça.

Covent Garden

É outra região de Londres que recebe muitos artistas de rua. Covent Garden é famoso por suas lojas, mercado, cafés e restaurantes.

Covent Garden em Londres
Covent Garden.

Plataforma 9 ¾

Os fãs dos livros e filmes do Harry Potter não podem deixar de visitar a Plataforma 9 ¾ na Estação de King’s Cross. É um atrativo turístico criado para simular a plataforma utilizada pelos alunos do mundo Mágico de Hogwarts para embarcar no trem que leva à escola.

Plataforma 9 ¾ em Londres
Plataforma 9 ¾.

Explore mundo mágico de Londres com um roteiro 11 lugares imperdíveis para fãs de Harry Potter organizado pelo blog Apure Guria.

Nothing Hill

Nothing Hill é um bairro que já foi cenário de muitos filmes. Sua arquitetura possui influência Vitoriana e há muitas ruas de paralelepípedo.

Lá fica o famoso mercado de Portobello Road e muitas lojas de antiguidade. Nos domingos pela amanhã acontece uma interessante feira de antiguidades.

Camden Town

Camden Town é um bairro londrino famoso por suas feiras ao ar livre e mercados. É o melhor local para comprar lembrancinhas em Londres, tanto pela variedade quanto pelo preço.

Camden Town em Londres
Camden Town.

Todos os dias, mas principalmente nos fins de semana, o bairro fica abarrotado de turistas que buscam conhecer esse lado alternativo da cidade.

Camdem Town é um ótimo destino para provar pratos típicos de diferentes países por um preço justo. Vale a pena ir mais de uma vez para experimentar diferentes culinárias.

Apresentações de músicos que estão fortemente associados à cultura alternativa são comuns por lá.

Dica bônus: após passear e fazer suas compras em Camden Town, siga caminhando pelo caminho às margens do Regent’s Canal até o Regent’s Park. A paisagem pelo caminho é linda e após alguns minutos você estará em um dos parques mais bonitos da cidade.

Regent's Canal em Londres
Regent’s Canal.

Saiba mais sobre Camden Town no post Camden Town: os mercados alternativos de Londres do blog Apure Guria.

Mercados e Feiras

Não deixe de visitar ao menos um dos tradicionais mercados de Londres. Eles são uma espécie de feira com barracas de comidas típicas locais e de todo o mundo. Dá para economizar com alimentação e ainda provar pratos incríveis.

O mercado mais famoso é o Borough Market, pertinho da London Bridge. Outras opções são o Mercado de Portobello Road em Nothing Hill e Camden Lock em Camden Town.

Museus de Londres

Se você gosta de museus, visitar um, alguns ou todos os museus de Londres é algo que deve estar no seu roteiro. Na capital da Inglaterra estão alguns dos melhores museus do mundo e o melhor de tudo é que a maioria tem entrada gratuita.

Nós somos suspeitos para falar pois adoramos museus. Sempre que vamos a Londres separamos alguns períodos dos dias por lá para visitar os museus da cidade. Normalmente passamos duas ou três horas em cada museu, mas nos maiores é preciso de mais tempo. Tente programar sua visita e se ater as alas do seu interesse.

Mas se você não é como nós, pense em visitar ao menos um dos grandes museus, mesmo que seja por pouco tempo e apenas para ver suas principais obras. Em Londres há museus para todos os gostos e temos certeza que algum deles pode te interessar.

Agora se você é como nós, divirta-se e tente visitar o maior número de museus que conseguir. Abaixo está a lista dos museus que mais gostamos em Londres.

British Museum

O British Museum ou Museu Britânico é um dos museus mais importantes do mundo. Tem em seu acervo mais de 7 milhões de objetos de todos os continentes que ilustram e documentam a história da humanidade.

British Museum em Londres
British Museum.

É o maior museu de Londres e sua arquitetura chama atenção. Entre suas exibições o destaque fica para a coleção de arqueologia egípcia com vários sarcófagos e múmias.

Horário de funcionamento: diariamente das 10h às 17h30 e nas sextas até 20h30 (exceto nos feriados).
Entrada gratuita.

National Gallery

A Galeria Nacional fica localizada na Trafalgar Square e tem um dos maiores acervos europeus, com mais de 2,3 mil pinturas. Foi fundado em 1824, é um dos mais importantes museus da Europa e um dos mais conhecidos do mundo.

National Gallery em Londres
National Gallery.

Abriga obras de Da Vinci, Botticelli, Monet, Michelangelo, Caravaggio, Van Gogh, Cézanne, Rembrandt e outros.

Funcionamento: diariamente das 10h às 18h e nas sexta até 21h.
Entrada gratuita.

Natural History Museum

O Museu de História Natural  é um dos três principais museus de Londres. Foi fundado em 1888 e possui inúmeras coleções de ciências da vida e da Terra.

Museu de História Natural de Londres
Museu de História Natural.

Exibe espécimes coletados por Darwin durante sua pesquisa que originou a teoria da evolução das espécies.

Museu de História Natural em Londres
Museu de História Natural.

Funcionamento: diariamente das 10h às 17h30.
Entrada gratuita.

SCIENCE MUSEUM

O Museu de Ciências é um museu “alternativo” para quem não gosta de museus ou “não gostar de ver coisa velha”, já que é voltado para temas mais recentes como a “The Rocket” (locomotiva de Stephenson de 1829), o primeiro protótipo do Relógio Long Now ou a cápsula original do Apollo 10.

cápsula original do Apollo 10
Cápsula original do Apollo 10.

Funcionamento: diariamente das 10h às 18h
Algumas exibições especiais temporárias são cobradas, mas o acesso a maioria delas é gratuito.

TATE MODERN

O museu Tate Modern é o museu de Arte Moderna mais visitado do mundo. Tem em suas coleções obras produzidas de 1900 até a atualidade.

Tate Modern em Londres
Tate Modern.

Fica no nas instalações de uma antiga usina bem às margens do rio Tâmisa e reúne mostras temporárias de arte moderna e contemporânea com obras que incluem Picasso, Matisse, Chagall, Francis Bacon.

Funcionamento: diariamente das 10h às 18h e nas sexta até 21h.
Entrada gratuita.

VICTORIA & ALBERT MUSEUM (V&A)

É o maior museu de arte e design do mundo. Possui uma coleção permanente superior a 4,5 milhões de objetos. Foi Fundado em 1852 e suas coleções mostram 5.000 anos de arte. Os destaques ficam para as joias de William & Judith Bollinger e as deslumbrantes Galerias Britânicas.

Funcionamento: diariamente das 10h às 18h e nas sexta até 21h.
Entrada gratuita.

IMPERIAL WAR MUSEUM

O Museu da Guerra Imperial é o maior museu do mundo exclusivamente dedicado à memoria de guerras. Foi criado em 1917 e conta a história das guerras em que o império britânico esteve envolvido.

IMPERIAL WAR MUSEUM em Londres
Imperial War Museum.

Expõe artefatos, veículos militares, aviões de combate, armas de todos os tipos, livros, fotografias, documentos, vestuário e uma coleção de arte do século XX. É uma atração imperdível para quem se interessa pela história das guerras.

Funcionamento: diariamente das 10h às 18h.
Entrada gratuita.

Madame Tussauds

O Madame Tussauds, Museu de Cera de Londres é uma dos museus pagos de Londres que não pode ficar de fora do seu roteiro. A visita é muito engraçada e rende excelentes fotos.

Inaugurado há mais de 130 anos, o Madame Tussauds exibe estátuas de cera de personalidades famosas mundialmente. A qualidade e a inovação da técnica utilizada em suas obras fizeram dele o museu de cera mais famoso do mundo.

É uma das 10 atrações mais visitadas de Londres, recebendo cerca de 3 milhões de visitantes anualmente.

Horário de funcionamento: todos os dias das 9:00 às 18h (última entrada às 16h).
Ingressos: £29 para +16 anos e £24 entre 3-15 anos).
Compre na GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Saiba mais no post Madame Tussauds – O Museu de Cera de Londres.

The Shard

The Shard é o prédio mais alto do Reino Unido e um dos mais altos da Europa. Tem 310 metros de altura, 87 andares e foi inaugurado em julho de 2012. É uma atração turística pois em seu top há um mirante aberto à visitação.

The Shard em Londres
The Shard.

O mirante tem três andares, dois fechados e um terraço aberto, de onde se tem uma vista de 360 graus de toda Londres. Conhecido como “The View”, é um dos melhores lugares para ver Londres de cima. Nos dias de céu claro, é possível avistar cidades em um raio de até 65 quilômetros.

The Shard em Londres
Vista do The Shard.

Horário de funcionamento: de quinta a sábado das 10h às 22h (último acesso às 20h30 e de domingo a quarta das 10h às 19h (último acesso às 17h30.
Ingressos: £32 para +16 anos e £25 entre 4 e 15 anos.
Compre no site da GetYourGuide ou no site oficial da atração.

Passeio de barco

Fazer um passeio de barco pelo rio Tâmisa é uma boa escolha para conhecer as atrações às suas margens. Westerminter Bridge, London Eye, Tower Bridge e Greenwich Park são algumas dessas atrações.

Passeio de barco em Londres
Passeio de barco pelo rio Tâmisa.

Várias empresas oferecem o passeio a partir dos Piers de Westminster e do London Eye. Os barcos passam por todas as atrações turísticas que margeiam o rio e é possível desembarcar em algumas delas.

Custa: £10.75 só ida para +16 anos e £8.50 só ida entre 5 e 15 anos. O bilhete de viagens ilimitadas durante 24 horas custam £19.50, com a possibilidade de adquirir o ticket familiar para 2 adultos + 3 crianças por £39.

Nossa indicação é que você faça o passeio completo, sem descer do barco, até chegar em Greenwich, última parada do tour.

Ao desembarcar conheça o Greenwich Market, uma feirinha de antiguidades, moda vintage e comidinhas típicas, inclusive brasileira. Se ainda não tiver almoçado, aproveite para provar algo diferente.

Depois visite o National Maritime Museum, onde está a maior coleção de arte naval do mundo.

Finalmente vá ao lindo Parque Real de Greenwinch. Lá, além de lindos campos e paisagens, você terá uma vista belíssima de Londres. A entrada é gratuita.

Observatório Real de Greenwinch

Se você gosta de astronomia, não deixe de visitar o Observatório Real de Greenwinch, mundialmente famoso por ser o local por onde passa o Meridiano de Greenwich. Caso contrário, sinceramente o preço do ingresso do observatório (£16) não vale o passeio.

Meridiano de Greenwinch
Meridiano de Greenwinch.

Saiba mais sobre a visita ao Observatório do Meridiano de Greenwich no blog Viajonários.

London Pass

Na nossa última viagem nós utilizamos o London Pass, passe turístico que permite a entrada em mais de 80 atrações de Londres e região.

Estão inclusas atrações como a Torre de Londres, o Zoológico, The View from the Shard, Passeio de barco no rio Tâmisa, Abadia de Westminster, ônibus hop-on hop-off e o Castelo de Windsor (incluindo bilhete de trens ida e volta), dentre muitas outras.

Outra vantagem são os descontos em diversas lojas, restaurantes e apresentações teatrais.

Se você planeja visitar muitas atrações pagas em Londres, o London Pass pode te ajudar a economizar muitas libras.

O passe de 1 dia custa £75 para +16 anos e £55 entre 5 e 15 anos, de 2 dias custa £99 e £75, de 3 dias custa £116 e £84 e de 4 dias custa £134 e £99.
Compre na GetYourGuide ou no site do Visit Britain.

Saiba mais em London Pass: vale a pena?

Passeios bate-volta de Londres

É possível fazer vários passeio bate-volta de Londres com duração de meio período ou de um dia completo. São ideais para quem tem mais de 4 dias na cidade e quer preencher o roteiro conhecendo atrações próximas a Londres.

Já fizemos alguns desses passeios e abaixo estão algumas de nossas sugestões.

Castelo de Windsor

O Castelo de Windsor é uma atração próxima a Londres que é muito fácil de conhecer por conta própria. Construído no século XI, esse castelo tem sido usado desde então pelos monarcas britânicos, o que faz dele o castelo habitado há mais tempo de toda a Europa.

Castelo de Windsor
Castelo de Windsor.

Para chegar em Windsor basta pegar um trem na estação Paddington em direção a Slough e lá fazer a baldeação para o trem regional para Windsor.
Se você tiver a sorte de pegar o trem direto para Slough, o tempo de viagem total não chega a 30 minutos. Já no trem “parador” a viagem leva cerca de 1 hora. As passagens custam £11,70 ida e volta (fora dos horários de pico) e £15,10 ida e volta (em qualquer horário).

Horário de funcionamento: 1º de novembro a 28 fevereiro das 10h às 16h15; 1º de março a 31 outubro das 09h30 às 17:15. Última admissão 1h15 antes do horário de fechamento. Fechado nos dias 25 e 26 dezembro.
Ingressos: £22.50 para +18 anos, £13 entre 5 e 17 anos, £20.30 para +60 anos.
Compre online na GetYourGuide ou no site oficial.

Se você preferir pode contratar um tour de meio período para visitar o Castelo de Windsor com traslado de ida e volta de ônibus e ingresso incluso por £61.

Saiba mais no post Castelo de Windsor: como chegar e dicas importantes.

Oxford

É fácil conhecer Oxford em um bate-volta a partir Londres gastando pouco. É possível ir e voltar de trem por menos de £15 ou de ônibus por £10.

Oxford na Inglaterra
Oxford.

Oxford é uma cidade medieval cheia de construções centenárias intactas e foi cenários de muitas cenas dos filmes do Harry Potter.

Saiba como no post Oxford: bate e volta desde Londres.

Stonehenge

O misterioso Stonehenge fica pertinho de Londres e é facilmente conhecido em uma viagem de meio período. Esse círculo de pedras, cuja origem de sua construção é incerta até hoje, atrai diariamente milhares de turistas de todo o mundo.

Pôr do Sol no Stonehenge
Pôr do Sol em Stonehenge.

Fica a cerca de 140 quilômetros a oeste de Londres, no condado de Wiltshire, ainda na Inglaterra. Você pode optar por ir de ônibus ou trem por conta própria, carro alugado ou em um tour organizado por alguma agência de turismo de Londres.

Por incrível que pareça, a forma mais fácil, barata e prática de ir ao Stonehenge é através de um tour.

Na GetYourGuide a excursão de meio período (manhã ou tarde) custa £53 (17 a 59 anos), £50 (+50 anos) e £43 (3 a 16 anos), incluso o transporte em ônibus, ingressoáudio guia.

Há outras opções que podem te interessar como a excursão de 1 dia para Stonehenge, Bath e Oeste inglês por £64 ou a excursão de 1 dia para o Castelo de Windsor, Stonehenge e Oxford por £62.

Saiba mais no post como ir ao Stonehenge.

País de Gales

Essa não é uma opção de bate-volta de um dia, já que o ideal é reservar pelo menos 3 dias para conhecer um pouco do País de Gales, país vizinho a Inglaterra e que também faz parte do Reino Unido.

Castelo de Cardiff no País de Gales
Castelo de Cardiff.

O maior destaque do País de Gales são os seus castelos. São 641 castelos medievais em seu território (cerca de 200 estão em ruínas), o que faz do País de Gales um dos principais destinos do mundo para ver castelos medievais.

Cardiff, a capital do País de Gales, fica a cerca de 250 quilômetros de Londres. É fácil chegar lá em pouco mais de duas horas viajando de trem ou cerca de 4 horas viajando de ônibus.

Outra cidade interessante do País de Gales é Swansea, localizado a uma hora de viagem de Cardiff. É um destino perfeito para quem gosta de roteiros alternativos, longe dos grandes centros turísticos.

Saiba mais no post País de Gales – Inclua em sua Eurotrip.

Onde ficar em Londres

Hospedagem em Londres não é nada barata. Na verdade Londres é uma das cidades mais caras da Europa no quesito hospedagem. E não adianta nada encontrar uma opção de hospedagem mais em conta mas ter que dividir quarto com 30 pessoas, usar banheiros sujos e ficar longe de tudo, gastando tempo e dinheiro no transporte público.

Temos duas indicações de onde ficar em Londres. Uma em hostel para quem viaja com orçamento aperto e procura quarto compartilhado e a outra em um hotel econômico, para quem quer economizar mas não abre mão de ficar em um quarto privativo.

Generator London

Em 2013 ficamos hospedados por 30 dias no Generator Hostel London, um hostel muito bem localizado nas proximidades das estações de metrô Russel Square (5 minutos caminhando), ST Pancras e Kings Cross (10 minutos caminhando).

Várias linhas de ônibus passam próximo ao Generator e quem gosta de caminhar e/ou pedalar pode conhecer vários pontos turísticos sem utilizar o transporte público.

É uma opção de hospedagem econômica para os padrões londrinos com muitos prós e alguns contras. Recomendamos para quem gosta do ambiente de hostel e de festas. Há também a opção de ficar em quarto privativo individual e duplo.

Diárias a partir de £14 por pessoa em quarto compartilhado ou £59 no para 2 pessoas em quarto privativo com banheiro compartilhado.
Reservas em Booking.com.

Saiba mais no post Generator Londres – Um albergue em Londres bom, bonito e barato.

Arriva Hotel

Na viagem de agosto de 2019 ficamos hospedados no Arriva Hotel, localizado a 5 minutos a pé da estação de metrô King’s Cross. A localização é ótima, permitindo chegar rapidamente de metrô a qualquer ponto turístico e até mesmo caminhando (para quem gosta de caminhar bastante).

Nos quarteirões ao seu redor há muitas opções de restaurantes, lanchonetes e mini mercados. A cama era muito confortável e nós fomos atendidos quando pedimos travesseiros extras. O hotel tem um bom atendimento na recepção, rápido check-in e check-out. Recomendamos pelo custo benefício, já que encontrar um quarto confortável, bem localizado e com bom preço em Londres é uma tarefa difícil.

Como pontos negativos destacamos o horário do café da manhã que termina às 9h30h, além de os itens servidos serem os mesmos todos os dias. Além disso não há frigobar e nem ar condicionado no quarto, o que pode incomodar bastante nos dias mais quentes do verão.

Diárias a partir de £50 para 2 pessoas em quarto privativo com banheiro.
Reservas em Booking.com.

Seguro Viagem para o Reino Unido

Como o Reino Unido não faz parte do Tratado de Schengen, o seguro de viagem para viagens a turismo de até 6 meses não é obrigatório. Entretanto, é extremamente recomendável contratar um seguro viagem antes de pousar na terra da rainha.

Isso porque qualquer atendimento médico no Reino Unido custa bem caro. Na Inglaterra e demais países do Reino Unido não existe atendimento médico gratuito para turistas de fora da Europa e qualquer necessidade médica pode gerar uma despesa bem alta.

Para se prevenir e não ter uma dor de cabeça desnecessária, o melhor é contratar um seguro viagem antes de viajar. Dessa forma você terá não só assistência médica como muitos benefício como proteção em caso de extravio de bagagem, gastos por atraso de voo, despesas extraordinárias por permanência forçada, fiança e assistência judicial em caso de prisão e outras coberturas muito importante que nunca nos preocupamos, como indenização em caso de acidentes que resultem em invalidez permanente e traslado do corpo do segurado em caso de morte no exterior.

Nós sempre simulamos e contratamos nossos seguros viagens no site da Seguros Promo, portal que compara o preços em diversas seguradoras e apresenta os melhores resultados para que você escolha o que melhor encaixe nas suas necessidades e orçamento.

Para você ter uma ideia, na nossa última viagem para Londres, o seguro viagem para 6 dias custou apenas R$49,19 com coberturas superiores a 50.000 dólares.

COMEÇOU A BLACK NOVEMBER DO SEGUROS PROMO!
Até 20% de desconto no seguro viagem.
Utilize o cupom BLACK e garanta 15% de desconto em qualquer plano de seguro viagem. Para pagamentos via boleto são mais mais 5% OFF.
O cupom já está aplicado nesse link.
Não dê bobeira, há opções por menos de R$10,00 por dia.
*Promoção válida até 21/11/2019, independente da época da viagem.

Saiba mais no post Seguro Viagem Internacional com desconto.

Lembramos que se além do Reino Unido você for visitar qualquer país da Europa signatário do Tratado de Schengen o seguro viagem passa a ser obrigatório.

Não deixe de ler: Eurotrip: viajando pela Europa gastando pouco | Planejamento e roteiros


Leia também

Passagens baratas Eurostar de Londres a Paris

Roteiro para 4 dias em Paris

Mochilando no Inverno Europeu

Roteiro de 20 dias pela Europa: Alemanha, Suíça, Polônia e Luxemburgo

Roteiro de 10 dias em Portugal – Lisboa, Cascais, Sintra, Porto e Lagos

*Em nossa última visita a Londres (agosto de 2019) contamos com o apoio do Visit Britain, órgão de promoção do turismo na Grã-Bretanha.
Saiba mais sobre InglaterraEscóciaPaís de Gales e Irlanda do Norte acessando visitbritain.com.

VIAJE POR CONTA PRÓPRIA E ECONOMIZE MUITO!
Reserve hospedagem no Booking.com
Seguro Viagem com desconto em Segurospromo
Alugue um carro em Rentcars
Ingressos e passeios dentro do Brasil em Touron
Passagens aéreas promocionais em Passagens Promo
Passeios em Santiago com Destino Chile (cupom #bloglovers 10%OFF)
Tours pela América do sul em Denomades.com
Passagens de ônibus, trem e avião dentro da Europa em Omio
Ingressos e passeios pelo mundo em GetYourGuide
Chip Internacional com frete grátis em EasySIM4U
Chip Internacional da Viaje Conectado com 10%OFF cupom PROMO10

Gostou? Deixe sua dúvida ou comentário!