O que fazer em Santiago – Chile

Quer saber o que fazer em Santiago? Um dos destinos mais visitamos pelos brasileiros,  a capital do Chile tem muitas atrações e atrativos que vão desde o centro histórico e vinícolas a Cordilheira dos Andes, com suas belas paisagens e esportes de inverno.

Cerro San Cristobál

Vista do Cerro San Cristóbal

Quem visita Santiago deve reservar ao menos um dia completo para conhecer a região central da cidade e seus principais pontos turísticos. É possível fazer isso a pé, mas saiba que você vai andar muito. É claro que também é possível utilizar o transporte público (metrô), que por sinal é muito bom e te leva a quase todos os pontos de interesse turístico.

Já passeios como o Vale Nevado, Cajon del Maipo e Embaise el Yeso, Vinícolas e as cidades vizinhas Viña del Mar e Valparaíso demandam cada um dia inteiro cada um. Dessa forma, quem quer conhecer o básico de Santiago e região precisa ficar ao menos 5 dias na cidade.

O que fazer no Centro de Santiago

Optamos por conhecer o centro de Santiago e região ao redor caminhando. Como as distâncias entre uma atração e outra são relativamente curtas e a cidade é bem plana, quem gosta de caminhar pode seguir o roteiro abaixo utilizando o Google Maps ou mesmo um mapa tradicional que passará pelos principais pontos turísticos. Já quem não gosta pode utilizar o metrô para as distâncias mais longas.

Iniciamos nosso passeio pelo Palácio de La Moneda, a sede do governo chileno. É um prédio histórico, onde funcionou a Casa da Moeda chilena. Não fizemos o tour interno. Apenas conhecemos por fora.

La Moneda Santiago

De lá seguimos para o Paseo Ahumada, a principal rua de comércio do centro de Santiago. Nessa rua há filiais da Ripley e Falabella. Bem próximo dali estão as casas de câmbio, nas ruas Agustinas e Moneda. Recomendo que troquem seus reais por pesos chilenos nesse local, já que o real só tem uma boa cotação em Santiago, desvalorizando bastante no interior. E apenas em alguns poucos locais de Santiago o real é aceito, e mesmo assim com cotação inferior a das casas de câmbio. Já o dólar tem a mesma cotação tanto em Santiago quanto no interior e é mais aceito nos restaurantes e hotéis.

Centro de Santiago

Visitamos o Museo de Arte Pré-colombiano. Com milhares de peças do período pré-colombiano pertencentes a vários povos que habitavam o continente americano antes da chegada dos espanhóis, é muito interessante, principalmente para quem ainda não visitou o Peru e seus museus. O ingresso custou 3000 pesos.

Bem próximo fica a Catedral Metropolitana de Santiago. Muito bonita, repleta de obras de arte e rica em detalhes, é um local que deve ser visitado até mesmo por quem não é católico.Plaza das Armas Santiago

A próxima parada foi a Plaza de Armas, onde fica a Catedral. Ela é grande e arborizada e está rodeada por diversas construções históricas, como o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional.

Seguimos para o Mercado Central. De um lado fica o verdadeiro mercado, onde os santiaguinos compram pescado e verduras. Do outro, o mercado turístico, onde diversas pessoas, muitas delas falando português, vão fazer de tudo para que você almoce em seu restaurante.  Vale uma passada rápida, até porque existem melhores restaurantes e com preços mais em conta na região.

Hora da para para almoço. Escolhemos um pequeno restaurante e pedimos o menu do dia. Em Santiago é comum os restaurantes oferecerem um menu composto por entrada, prato principal, sobremesa e uma bebida por um preço especial. Os restaurantes que oferecem o menu normalmente colocam uma placa na frente informando o preço e a composição do menu. Fica a dica para economizar com as refeições.

Caminhamos até o Cerro Santa Lucia. É um morro localizado na região central de Santiago de onde tem-se uma bonita vista da cidade estando dentro dela. Além disso, o Cerro faz parte de um parque que é bem bonito.

Cerro Santa Lucia, Santiago

Vale muito a pena caminhar por lá e subir até o mirante localizado no ponto mais alto. Para chegar lá é preciso encarar escadas e rampas. No caminho há algumas paradas como a Terraza Neptuno, uma grande fonte de água inspirada na Fontana di Trevi, de Roma.

Cerro Santa Lucía

Terraza Neptuno

Cerro Santa Lucia

Vista do Cerro Santa Lucia em janeiro de 2017

Seguimos para o Cerro San Cristóbal, passamos pelo bairro Bellavista. É o bairro boêmio de Santiago, onde estão concentrados a maioria dos bares e boates. A tarde muitos dos bares já estão cheios, para quem gosta,  é um bom local para uma parada estratégica.

O acesso ao Cerro San Cristóbal, um dos morros mais altos da cidade, se dá através de um Funicular, espécie de trem, ou para os mais animados a pé ou de bicicleta.

Cerro San Cristóbal

No alto do morro há um santuário religioso. A vista é panorâmica. sendo possível ver toda Santiago e a Cordilheira dos Andes. É de lá, no inverno,  que se tira aquela clássica foto de Santiago, com a cidade a frente e a Cordilheira atrás toda branca da neve.

Vista Cerro San Cristóval

Vista Cerro San Cristóval em janeiro de 2017

Recém reinaugurado (nov. 2016) depois de mais de 6 anos fechado (desde o terremoto de 2010) o teleférico de Santiago percorre um trajeto 4,8 kms e faz três paradas: a primeira é a Oasis (Pedro de Valdivia), a segunda é Tupahue e a terceira é a Cumbre, que fica próxima à Virgem, no alto do Cerro San Cristobal. O ingresso para ida e volta custa 1850 pesos.

Teleférico Santiago

Teleférico – Cerro San Cristóbal

Para finalizar caminhamos pelo bairro Providência, um dos bairros mais modernos de Santiago. É nesse bairro que está o Shopping Costanera, maior shopping da América do Sul e a Gran Torre Costanera, o prédio maios alto da América Latina, com 64 andares e 300 metros de altura.

Shopping Costanera, Santiago

Estações de Esqui – Vale Nevado, Farellones e El Colorado

Em Santiago estão algumas das principais e mais bem estruturados centros de esportes de inverno e resorts da América do Sul. As principais estações de esqui da cidade são o Vale Nevado, Farellones e El Colorado.

Vale Nevado

Vale Nevado.

Durante a estação de neve é possível praticar atividades como Esqui e Snowboard, mas fora da temporada também é possível visitar as estações de inverno, já que elas oferecem muito mais aos seus visitantes, sendo também conhecidas pela gastronomia e por suas belezas naturais típicas da região.

Vale Nevado em Santiago

Vale Nevado em outubro de 2014.

A forma mais fácil de conhecê-las é contratando uma excursão ou transfer. Quem não deseja esquiar pode contratar um passeio de dia inteiro para conhecer as 3 principais estações, em algumas das agências de turismo de Santiago. Já quem quer esquiar pode contratar um transfer para a estação de sua preferência.

Cajón del Maipo e Embalse el Yeso

São duas atrações localizadas na Cordilheira dos Andes, próximo a Santiago, que ainda não são tão visitadas como o Vale Nevado, vinícolas e demais atrativos, mas que estão sendo descobertas cada vez mais pelos brasileiros, já sendo considerada uma atração imperdível da cidade.

A foram mais fácil de chegar lá é contratando um tour organizado por agências de turismo de Santiago, já que estão a cerca de 100 km da capital chilena e a estrada não recebe muita manutenção e quando começam as nevascas ela pode ficar inacessível.

Cajon del Maipo

Vinícola Concha y Toro

Em Santiago e região existem muitas vinícolas. A Concha y Toro talvez seja a mais conhecida, principalmente entre os brasileiros, já que é a fabricante do vinho Casillero del Diablo, muito consumido no Brasil. Outra vantagem de escolher essa vinícola para visitação, é que é possível ir por conta própria, sem a necessidade de contratar tour por agência, gastando quase 3 vezes menos.

Vinícola Concha y Toro

Bate e volta a Valparaíso e Viña del Mar

A maioria dos turistas que chegam a Santiago tem planos de visitar também Valparaíso e Viña del Mar, cidades irmãs localizadas no litoral do Chile, distantes cerca de 130 quilômetros da Capital.

Valparaíso é famosa por sua história. Com muitas construções antigas, é cheia de morros e ladeiras, além dos famosos ascensores (elevadores) e dos trólebus (ônibus movido a eletricidade) da década de 50. Foi residência do famoso poeta Pablo Neruda e é sede do Congresso Nacional do Chile. Foi declarada recentemente patrimônio mundial pela UNESCO.

Viña del Mar é um balneário frequentado pela elite Santiaguina durante o verão. A cidade, famosa pelo seu mundialmente conhecido relógio de flores, possui diversos hotéis e restaurantes de alta gastronomia.

É muito fácil visitar as cidades em um bate e volta de Santiago por conta própria, gastando muito menos do que cobram as agências de viagem pelos tours que organizam.

Relógio das Flores Viña del Mar


Leia também

Roteiro de 5 dias em Santiago

O que fazer em um dia livre em Santiago

Roteiro de 12 dias de viagem para o Chile

Valparaíso e Viña del Mar por conta própria

Pucón! A cidade do Vulcão!

Valdívia! Uma cidade a ser incluída em seu roteiro pelo Chile!

Puerto Varas e Frutillar – Patagônia Chilena

Fiquei doente no exterior! E agora?

2 Comments

  1. Lucienne Condé 06/11/2017
    • Mochilão Barato 08/11/2017

Gostou? Deixe sua dúvida ou comentário!