Varsóvia: conheça a capital da Polônia

Varsóvia foi uma das cidades que mais nos surpreendeu em nossa última viagem pela Europa. A capital polonesa que foi totalmente destruída durante a Segunda Guerra Mundial, foi minimamente reconstruída durante a dominação soviética e hoje é uma cidade vibrante, bela e moderna. Nós reservamos 2 dias para conhecer a cidade. Chegamos de ônibus de Berlim e de lá segui de ônibus para a Cracóvia

Conhecer a Polônia sempre esteve nos nossos planos, porém ainda não havíamos conseguido “encaixar” o país em nossas viagens pela Europa. Mas em novembro de 2016, enfim conseguimos visitá-lo. As cidades escolhidas foram Varsóvia e a Cracóvia.

Centro de Varsóvia

Um pouco da história de Varsóvia

A Polônia tem uma história repleta de guerras, dominações, destruição e reconstrução. O país esteve envolvido em muitas guerras e durante a Segunda Guerra Mundial muitas cidades polonesas foram totalmente destruídas, como a capital Varsóvia.

Varsóvia existe desde a Idade Média e a Stare Miasto (Cidade Velha) é um burgo muralhado que foi reconstruído meticulosamente após o fim da segunda guerra. Foi elevada a capital da Polônia no final do século XVI, tomando o posto da Cracóvia. Ocupada pelos suecos e russos diversas vezes, fez parte do Império de Napoleão Bonaparte como capital do grão-ducado de Varsóvia.

Em 1939 a cidade tinha mais de 1.200.000 habitante e 35% destes eram judeus. Em 1940, após a invasão alemã, 450 mil judeus de Varsóvia foram trancados em um gueto murado, onde permaneceram até serem enviados a algum campo de concentração. Em 1943 a cidade foi quase que totalmente destruída pelos alemães após uma revolta chefiada pela Resistência Polaca. Quando Varsóvia foi libertada pelos russos, dois em cada três dos habitantes que nela viviam antes da guerra tinham morrido ou tinham sido deportados.

Varsóvia após a segunda guerra mundial

Varsóvia após a segunda guerra mundial

A Polônia passou ao domínio da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, se tornando um país satélite do governo comunista e sendo controlado por este por 37 anos, até a queda do muro de Berlim e o declínio da URSS em 1989.

Varsóvia foi totalmente reconstruída durante a dominação comunista e hoje é uma cidade bela e moderna, com arranha-céus, shoppings centers, ótimo serviço de transporte público, excelentes restaurantes, bares e muito procurada pelos jovens por causa de sua noite vibrante e barata em relação as cidades da Europa central.

Varsóvia

Como chegar

Não há voos diretos do Brasil para a Polônia. É preciso fazer conexão em algum país da Europa Central. Uma boa alternativa é voar do Brasil para Europa e lá embarcar em um voo de alguma das companhias aéreas de baixo custo europeias. Desde a Alemanha e República Tcheca também é possível ir a Polônia de ônibus e de trem. Nós chegamos a Varsóvia vindo de Berlim e de lá seguimos para Cracóvia de ônibus, com a empresa Polskibus.

Os ônibus da Polskibus tem ponto final próximo a estações de metrô. O ônibus que vem de Berlim deixa próximo a estação de metrô Młociny da linha 1. De lá você pode pegar o metrô para o centro de Varsóvia.

A Polônia possuí uma boa malha ferroviária e Varsóvia está conectada com várias cidades polonesas e europeias. A empresa de trens polonesa é a PKP.

Polônia

Palácio da Cultura e Ciência em Varsóvia

Hospedagem

O centro de Varsóvia é sem dúvidas uma ótima região para se hospedar. Com suas ruas e avenidas largas e planas, aliadas ao transporte público eficiente, é possível chegar na maioria dos pontos turísticos caminhando ou utilizando o transporte público. Caso opte por se hospedar na parte histórica da cidade, esteja preparado para pagar mais caro tanto na hospedagem, quanto na alimentação.

Nós escolhemos nos hospedar no Hostel Oki Doki, muito bem localizado no centro da cidade, bem próximo do Palácio da Cultura e da Ciência, das principais avenidas, do metrô e demais meios de transporte, possibilitando alcançar a cidade velha em cerca de 20 minutos de caminhada. Com diárias a partir de €9,95, o Staff é muito simpático e eles falam inglês e espanhol. Nas proximidades estão muitas lojas, shoppings, restaurantes e as principais redes de Fast-food. Disponibilizam quartos coletivos, individuais e de casal. Os banheiros compartilhados estão sempre limpos. O café da manhã é pago e custa 15 Zlotys. Recomendamos a estádia nesse hostel para quem quer economizar e não abre mão de ficar bem hospedado.

Está gostando desse post? Que tal curtir nossa página no Facebook?

Transporte Público

Varsóvia conta com uma excelente malha de transporte público. Composto por metrô, Tram e ônibus, o sistema funciona pontualmente e te leva a todos os atrativos turísticos, estações de trem, rodoviárias e ao aeroporto. É preciso comprar o bilhete em quiosques, lojas, correios, hotéis ou nas estações e validar antes da utilização. Eles são válidos para todos os modos de transporte e o valor muda de acordo com a região de abrangência e tempo para utilização. Ou seja, se você adquirir um bilhete para zona 1 de 90 minutos, poderá utilizar o bilhete em qualquer meio de transporte, quantas vezes precisar durante o período de validade. Se você pretende utilizar o transporte público mais de uma vez durante o dia, vale a pena comprar o bilhete diário.

varsóvia

O que fazer em Varsóvia

A capital polonesa possui muitas atrações turísticas, belas praças, parques, charmosa arquitetura e deliciosa gastronomia. Nos surpreendemos positivamente com a cidade. Não esperávamos encontrar uma cidade tão bonita e moderna, cheia de aranhas-céu, com excelente infra-estrutura, cheia de cores e tendências de design. Seus edifícios com novas e brilhantes estruturas de vidro e aço contrastam com os enormes blocos cinzentos construídos durante a ocupação soviética. Já na colorida Cidade Velha estão os edifícios do século XIII, o antigo mercado, o Castelo Real e a Catedral de São João, todos minimamente reconstruídos após a Segunda Guerra Mundial.

Varsóvia Polônia

Cidade Velha

A Cidade Velha de Varsóvia foi tombada como patrimônio mundial histórico e cultural pela UNESCO em 1966. Foi construída por volta do século XIV e uma das suas funções era proteger a cidade contra invasões, já que era murada. Apenas de 5% a 10% das suas construções são originais, tendo sida quase que totalmente destruída quatro vezes, a última durante a Segunda Guerra Mundial. Construída sob influência arquitetônica eslava, germânica, balcânica e teutônica, é bem pequena e pode ser conhecida facilmente a pé.

praça do mercado em varsóvia

O melhor ponto de partida para conhecer a Cidade Velha é a Praça do Castelo. Lá estão três dos mais importantes pontos turísticos da cidade: a Igreja de Santa Ana, a Coluna Sigismundo e o Castelo Real.

Igreja de Santa Ana
Uma luxuosa igreja, com interior barroco dourado e belas pinturas no teto.  Foi construída no século XV, mas sua estrutura atual é de 1700. A igreja foi danificada durante a Segunda Guerra Mundial, mas não foi totalmente destruída. É possível subir a torre do sino e contemplar uma linda vista para a cidade.
Igreja de Santa Ana VarsóviaColuna Sigismundo

Foi construída em 1644 em homenagem ao rei que tornou Varsóvia a capital da Polônia. Para o povo polonês a Coluna é um importante símbolo. Eles dizem que quando a espada de Sigismundo está erguida para o céu o país está em paz e que quando ela toca o chão a Polônia vive seus piores dias. Isso porque quando o país sofreu as piores invasões e dominações a Coluna sempre foi derrubada.

Coluna Sigismundo Varsóvia
Castelo Real de Varsóvia

Não tem o esplendor do Castelo Real da Cracóvia mas é uma atração imperdível para quem visita Varsóvia. Foi totalmente destruído por ordem de Hitler e reconstruído durante o domínio soviético a partir de arrecadações realizadas pelos morados da cidade e de toda Polônia, após uma longa espera pela reconstrução por parte do governo comunista.

Old Town Varsóvia

O castelo é o prédio da direita.

Em Julho de 1974 o relógio da torre voltou a funcionar, exatamente na mesma hora que havia parado, por ocasião dos bombardeamentos da Luftwaffe. Em Maio de 1975 já haviam sido arrecadados 500 milhões de złotys e mais de mil valiosas obras de arte doadas ao castelo. Em 1984 ele foi reaberto ao público.

Para visitar o Castelo é preciso pagar uma taxa de PLN30,00, mas aos domingos a entrada é gratuita. Mais informações no site oficial do Castelo de Varsóvia.

interior do castelo de varsóvia

Memorial ao Soldado Desconhecido
Esse memorial militar é um tributo a todos os homens e mulheres que deram suas vidas pela Polônia. Foi originalmente construído em 1925 para abrigar os restos mortais de um soldado desconhecido, morto durante a guerra Polaco-Ucraniana de 1918 a 1919. Lá também foram enterrados recipientes contendo o solo de 14 diferentes campos de batalha na fronteira leste. Soldados guardam silenciosamente o túmulo e sua chama nunca é apagada.
Memorial do Soldado desconhecido Varsóvia
De hora em hora acontece a troca de guarda. Aos domingo, ao meio-dia, ocorre uma troca de guarda mais elaborada. O memorial fica no Jardim Saxão, um parque público perfeito para caminhadas e piqueniques.
Jardim Saxão Varsóvia
Monumento ao Levante de Varsóvia

Em 1944 houve um movimento de resistência polonesa a ocupação alemã, conhecido como a resistência paralela polonesa ou Armia Krajowa. Foram 63 dias de lutas e no fim os poloneses foram derrotados. Em retaliação os alemães destruíram quase todo o resto da cidade e deportaram seus cidadãos, sendo muitos levados para campos de trabalho ou de extermínio. O Monumento do Levante de Varsóvia é uma homenagem àqueles que perderam suas vidas tentado livrar a cidade das mãos dos nazistas.

Monumento aos Insurgentes

Museu do Levante de Varsóvia

Conta a história do Gueto de Varsóvia, que foi criado pelos nazistas e chegou abrigar mais de 400 mil pessoas em condições precárias, aprisionadas pelos muros e entregues a fome e doenças. Mais informações no site oficial do museu.

Praça do Mercado

Foi um marco da reconstrução da cidade, pois todos os seus prédios foram totalmente destruídos e reconstruídos exatamente como eram. No centro da Praça fica a estátua de uma sereia, que é o símbolo da cidade. Isso porque, conforme a lenda, a sereia Sawa foi salva pelo pescador Wars e prometeu que o protegeria para o resto da vida. Assim surgiu o nome da cidade: Warszawa, em polonês.

praça do mercado VarsóviaMuralhas da cidade

Varsóvia, como toda cidade medieval, era cercada por uma grande muralha. Com o fim da Idade Média e o crescimento da cidade, a muralha original acabou desaparecendo. Foi reconstruída após a Segunda Guerra e hoje é um dos principais pontos turísticos da cidade. O principal ponto de observação da fortaleza é o Barbakan Warszawski, que na Idade Média era o principal portão de acesso à Cidade Velha.

Muralhas da cidade Varsóvia

Museu Nacional de Varsóvia

É um museu de arte que abriga mais de 780 mil peças, incluindo pinturas, esculturas e gravuras. Uma parte do antigo templo, do século VIII, foi reconstruída dentro do museu e abriga as primeiras imagens sagradas dos cristãos do norte da África. A entrada custa PLN15 e estudante pagam PLN10. O museu funciona de terça a sábado, das 10h às 18h. Mais informações no site oficial do museu.

Museu dos Judeus Poloneses

Conta a história do povo judeu na Polônia. Através de ilustrações, fotografias e obras de arte, ilustra desde a chegada dos primeiros judeus às terras polonesas aos dias atuais. Foi construído no antigo coração da comunidade judaica em Varsóvia, justamente onde os nazistas construíram o Gueto de Varsóvia. Funciona as segundas, quintas e sextas das 10h às 18h e quartas, sábados e domingos das 10h às 20h. Às terças fica fechado. Os preços variam de acordo com as exibições visitadas e às quintas a entrada para exposição principal é gratuita. Mais informações no site oficial do museu.

varsóvia-polônia-outuno

Outono em Varsóvia

Palácio da Cultura e Ciência

Construído durante o domínio soviético, é um edifício que chama a atenção de turistas, porém nunca foi unanimidade entre os moradores. Sua construção iniciou em 1952 por imposição do governo soviético, seguindo o modelo dos chamados ” arranha-céus de Stalin”, para ser um dos edifícios mais altos do mundo e foi finalizada em apenas 3 anos, em 1955.

Em sua fachada está uma prova das controversas da obra, uma escultura de um operário carregando um livro com os nomes de Marx, Engels e Lenin e que originalmente tinha também o nome de Stalin.

Palácio da Cultura e Ciência Varsóvia

Com o fim do domínio soviético, até mesmo sua demolição foi cogitada, por ser considerado uma lembrança indesejada do domínio soviético. Mas foi preservado, por ser parte da história polonesa. Hoje ele abriga escritórios, cinemas, teatros, restaurantes, universidades, salas para congressos e espetáculos e museus.

É possível visitar seu terraço, de onde se tem uma vista imperdível de Varsóvia e seus arredores. O ingresso custa PLN20 (inteira) e PLN15 (estudantes abaixo de 26 anos). O acesso ocorre diariamente das 10h às  20h e entre 01 de maio e 30 de setembro até Às 23:30h. Mais informações no site oficial do Palácio.

Palácio da Cultura e Ciência Varsóvia

Shopping Złote Tarasy
Um enorme shopping center, com um magnífico teto de vidro, localizado bem no centro de Varsóvia, ao lado do Palácio da Ciência e Cultura. Um milhão de pessoas visitam o Zlote todos os meses, incluindo muitos turistas. Abriga desde lojas locais e marcas polonesas até às mais conhecidas grifes internacionais.

Ao se aproximar do shopping, o teto chama a atenção. Em referência às copas das árvores, o vidro ondulado e brilhante do teto contrasta com a paisagem urbana a seu redor. Sua cúpula de vidro foi criada para não deixar a neve se acumular e poder filtrar a luz do sol.

zlore tarasy varsóvia

Shopping Zlore Tarasy no canto inferior esquerdo

É um bom local para visitar a noite, principalmente no outono e inverno, já que a temperatura ao ar livre é congelante. Para fugir do frio use os túneis que se estendem do centro da cidade até a estação de central de trens, passando pelo shopping.

shopping Varsóvia Polônia

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

Fuso horário: +4h (horário de Brasília)

Moeda
A moeda local é o “zloty”, cuja siglas são ZNL ou zl. Você pode levar euros e trocar nas casas de câmbio (kantor em polonês). Os cartões de crédito são aceitos na maioria dos estabelecimentos.

Idioma
Polaco. Nós hotéis, agências de turismo, locais turísticos e parte do comércio, sempre terá alguém que fale inglês. Vale a pena baixar um bom dicionário offline de polonês para emergências.

Documentos
Brasileiros estão isentos de visto para entrar na Polônia, sendo obrigatória a apresentação de passaporte válido.

Condições de segurança
A Polônia é considerada um país seguro, mas é claro que devem ser observados procedimentos de segurança comuns para evitar contratempos.

Clima
Existem quatro estações, sendo o verão úmido e quente (média de 30-35°C). O inverno é rigoroso e tem temperaturas entre -5º C a -20ºC.

Melhor época para visitar: Entre abril e outubro.

Roteiro de 20 dias pela Europa

Esse post faz parte do relato do Roteiro de 20 dias pela Europa.

O Mochilão Barato contou com o apoio do Departamento de Turismo de Varsóvia e do Hostel Oki Doki. Agradecemos a parceira e afirmamos que todas as experiências e opiniões relatadas no blog são independentes e exprimem a realidade vivenciada pelos blogueiros.


Leia também:

Visite a Polônia

Visite a Cracóvia: um guia completo sobre a cidade

Como é visitar o campo de concentração de Auschwitz

Como planejar uma Eurotrip

Mochilando no Inverno Europeu

Roteiro de 20 dias pela Europa

Assine nosso blog e receba por email um aviso a cada nova postagem!

Siga também em nossas redes sociais!

18 Comments

  1. quartodeviagem 07/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  2. Oscar Risch 07/04/2017
  3. aninhauffgmailcom 07/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  4. Francisco Piazenski 07/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  5. Deisy Rodrigues 08/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  6. Jannayna Oliveira 08/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  7. viajarcorrendo 08/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017
  8. Viviane Carneiro 10/04/2017
    • Mochilão Barato 11/04/2017

Gostou? Deixe sua dúvida ou comentário!